ABHB acompanha em Bagé etapa do Projeto Campo Futuro, da CNA

Por em 24 de julho de 2017

Fabiana Freitas e Raoni Lopes estiveram por lá, acompanhando a atividade

O Projeto Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), chegou ao Rio Grande do Sul nesta semana com o objetivo de levantar informações sobre o custo de produção da pecuária de corte nas principais praças gaúchas. O trabalho ocorreu em parceria com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) e na última sexta-feira (21) passou por Bagé, cidade sede da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), sendo acompanhado por técnicos da Entidade.

“Estávamos lá para conhecer mais os custos de produção da atividade e transmitir a importância da gestão técnico e econômica das propriedades aos nossos associados, além de prestigiar o trabalho da CNA, nossa parceira”, informou Fabiana Freitas, Gerente do Programa Carne Pampa.

Com abrangência nacional, envolvendo mais de 100 municípios de 13 Estados brasileiros, o trabalho consiste na realização de reuniões técnicas para levantamento de custos de produção. Estas reuniões são denominadas de “painéis” com a participação de agentes da cadeia da pecuária de corte (produtores, representantes de revendas agropecuárias, e técnicos de campo). Os painéis são conduzidos por técnicos da CNA, das Federações de Agricultura e Pecuária e das entidades parceiras. Todas as informações são baseadas em propriedades modais descritas pelos próprios participantes.

Conforme Rafael Linhares, assessor técnico da CNA, a propriedade modal é definida como aquela mais encontrada na região, podendo ser entendida como aquela que representa a maior parte da comercialização na pecuária de corte local. “Aqui no Rio Grande do Sul passamos pelos municípios de Santa Maria, Santo Ângelo, Alegrete, Bagé e Lavras do Sul. Com o término das visitas, podemos apontar dois tipos de modais recorrentes: um voltado para a produção de terneiros e outro especializado na recria e terminação destes animais”, informou ele, ao acrescentar.

“Em resumo, os painéis demonstraram que o pecuarista paga o desembolso da atividade, conhecido como Custo Operacional Efetivo (COE) e Custo Operacional Total (COT), que são despesas de desembolso somados a depreciação e pró-labore”.

Os dados apurados ao longo da semana estarão disponíveis para consulta na CNA e na Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Rio Grande do Sul (FARSUL), bem como nos Sindicatos Rurais das cidades visitadas. A ABHB compreende a importância do projeto e informa aos associados que também têm acesso aos dados pois faz parte da Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da CNA.

O que é o Projeto Campo Futuro?

O Campo Futuro é um projeto realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) em parceria com universidades e centros de pesquisa, além das Federações de Agricultura e Pecuária dos Estados. O programa tem foco no gerenciamento de riscos de preços, custos e produção. O produtor aprende a calcular o custo da sua produção da sua propriedade e a utilizar ferramentas e estratégias mais eficazes no processo de comercialização e gerenciamento de riscos.

Por Tatiana Feldens, reg. Prof. 13.654

Ascom ABHB

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Translate »