Hereford

Origem

A raça Hereford é originária do condado inglês de mesmo nome, zona de topografia ondulada e que apresenta condições climáticas favoráveis para a produção de pastos superiores. Apesar deste ambiente natural, de vales e planícies com solos férteis, a raça se encontra hoje difundida de forma tão ampla por todo o mundo, que resulta de todo impossível definir a topografia e tipos de solo que melhor se adaptam à raça.

O primitivo desenvolvimento da raça permanece na obscuridade. Sem sombra de dúvidas, gado bovino de cara branca é conhecido desde longa data na Inglaterra. O melhoramento moderno da raça começou com Benjamim Tomkins (1714-1789), e seu filho, continuador de sua obra, destacando-se como método seletivo a busca de precocidade de abate empregando consangüinidade estreita.

Os Tomkins, como a maior parte dos demais criadores de gado Hereford daquela época, não se interessavam em absoluto por características de pelagem, secundárias e menos importantes. No início do século XIX, ocorriam as seguintes pelagens: vermelha de cara branca, vermelha de cara salpicada, cinza clara e parda.

Gradualmente, a pelagem “pampa” característica foi se impondo, sendo hoje considerada como “marca de pureza” da raça.

História

Desde tempos imemoráveis o gado de Herefordshire e outras comarcas adjacentes tem sido famosa por seu tamanho, resistência e aptidão carnica. Esta raça foi fundada a partir de um tipo que predominava em Hereford durante séculos. Já em 1627, mencionava-se a existência desta raça.

Baseando-se em dados um tanto escassos, conta-se que o gado Holandês trazido de Dunquerque para o Lord Scudamore provavelmente conferiu ao Hereford seu tamanho e cor branca da cara e região abdominal. Indicando assim a analogia que existe entre o Hereford e a raça Groningen.

Um estudo feito recentemente pelo Departamento de Genética do Trinity College, Dublin, Irlanda, com uso de marcadores genéticos para estudo do DNA, verificou os valores entre a distância genética de 7 raças, entre as quais, Aberdeen Angus, Jersey, Hereford, Charolês, Holandês, Simental e N’Dama. Verificou-se que a raça Hereford tinha maior afinidade genética coma raça Holandesa, do que com as outras duas raças britânicas, mostrando portanto que a raça Hereford tem um passado em comum com as raças desta região da Europa.

Os fazendeiros de Herefordshire, Inglaterra, estavam determinados a produzir carne expandindo o mercado de comida criado pelos Britânicos na Revolução Industrial. Para o sucesso destes primeiros criadores eles tinham bovinos o qual poderiam converter a grama nativa em carne, e isto tudo em lucro.

Nesta época, não existiam raças que fornecessem estas necessidades, tanto que os fazendeiros de Herefordshire, encontraram uma raça de carne que logicamente tornou-se conhecido como Herefords. Estes primeiros criadores de Hereford moldaram seu gado com a idéia em uma raça de alta produção de carne e eficiência produtiva, e firmaram as características que hoje são características da raça.

Independente de sua origem, a raça já se encontrava estabelecida em 1788, quando escreveu-se que “a raça Hereford era sem sombra de dúvidas a primeira raça das Ilhas Britânicas.” Consequentemente , é inquestionável que ainda se desconheça sua origem, a moderna raça Hereford descende de animais de mérito induvidável e com uma notável resistência a enfermidades.

Iniciando em 1742 com um terneiro de uma vaca cinza e duas vacas. Benjamin Tomkins é creditado ser o fundador da raça. Isto ocorreu 18 anos após Robert Bakewell Ter iniciado o desenvolvimento de suas teorias sobre cruzamentos animais. Desde o inicio, o Sr. Tomkins tinha como objetivo economia na alimentação, aptidão natural para crescer e ganhar peso de pastos ou a partir de grãos, rusticidade, precocidade e prolificidade, características que ainda são de primeira importância hoje em dia. Outros criadores pioneiros seguiram a Tomkins, levando e estabelecendo o gado de Herefordshire renomado mundialmente, causando sua exportação desde a Inglaterra para onde a grama cresce e a produção de carne é possível.

Os Tomkins iniciaram um número considerável de cruzamentos de consangüinidade, devido ao fato de que eles mesmos criavam e utilizavam seus touros, sendo o único critério qualitativo que os guiava a rapidez de apronte e produção de carne.

Como a maior parte dos demais criadores de Hereford daquela época não se interessavam por características de pelagem, que eram secundárias e menos importantes. Depois, quando estavam suficientemente estabelecidas as características funcionais, se estabeleceu uma controvérsia sobre o padrão de pelagem e marcas ideais que a raça deveria adotar como típica. No início do século XIX, se preferiam animais com quatro pelagens básicas; vermelha de cara branca, vermelha com cara salpicada, cinza clara e prateado.

Gradualmente os partidários das duas primeiras pelagens impulsionaram o uso destas sobre as outras duas, uma vez adotada esta combinação de cores, foi fixada por seleção e cruzamentos consangüíneos até que o vermelho e branco foi considerado como “marca de pureza” da raça Hereford.

Chega ao Brasil em 1906

O gado Hereford da Inglaterra do final de 1700 e inicio de 1800 era muito maior do que hoje. Muitos animais adultos daqueles dias pesavam 1350 kg ou mais. Cotmore, um touro ganhador de várias exposições e notável padreador da época, pesou 1770 kg quando foi exposto em 1839. Gradualmente, o tipo e a conformação mudaram para um peso e tamanho menos extremo para conseguir mais qualidade e eficiência.

No Brasil, o primeiro exemplar chegou em 1906 e Laurindo Brasil, de Bagé (RS), em 1907, efetivou o primeiro apontamento do ” Herd Book “, registrando um touro argentino. Já em 1910, registraram-se os primeiros ventres, oriundos do Uruguai.

Principais Características

A pelagem da raça Hereford caracteriza-se por ser vermelha de cara branca, vermelha de cara salpicada, a pelagem “pampa” característica foi se impondo, sendo hoje considerada como “marca de pureza” da raça.

A pelagem vermelha, com cara, ventre e extremidades da cauda e partes inferiores das patas totalmente branca, é chamada de ” Pampa “.

A cara branca é dominante nos cruzamentos permanecendo nos mestiços por várias gerações.

Os criadores estão cada vez mais a procura de animais com pelagem vermelha ao redor dos olhos, que constitui defesa contra a exposição a forte luz solar, pois acredita-se que isso reduza a formação de vesículas e de câncer nos olhos.

O animal da raça Hereford é bem constituído, harmonioso e equilibrado, vigoroso e de bom tamanho, devendo-se evitar ambos os extremos: o pequeno e o excessivamente grande.

Performance, praticidade e lucratividade combinadas tornam o gado de corte Hereford a raça mais abundante em diversas regiões do mundo, sendo amplamente reconhecida como a raça básica. Fertilidade, rusticidade, eficiência alimentar, longevidade e adaptabilidade são as características de corte básicas, que asseguram que o gado de cara branca continuará a desempenhar um papel de destaque na indústria de carne bovina.

Os touros devem apresentar características masculinas destacadas e esqueleto vigoroso, proporcional a massa corporal.

As vacas devem apresentar caracteres de marcada feminilidade, boa capacidade abdominal, assim como condições leiteiras satisfatórias, com uberes bem colocados, porem dá leite apenas para o terneiro.

Os animais devem ser de andar desenvolto, com passadas equilibradas, de modo que se destaquem a condição vigorosa da raça e sua harmonia geral.

Produção de Carne de Qualidade

Gado famoso por seu tamanho, resistência e aptidão para a produção de carne, devido a sua conformação e capacidade de engorda, é considerada razoavelmente rústica e prolífica.

A produção de carne é a sua aptidão principal. O gado é resistente ao extremo em condições adversas, tanto ou mais que qualquer outra raça européia. São animais bastantes eficientes em regime de pasto, apresentando neste contexto terminação adequada ao produzir carcaças de carne bem marmoreada, como o mercado exige. Engordam bem em boas pastagens.

Tem vida útil de aproximadamente 12 a 15 anos.

Raças as quais o Hereford teve influência

– American Breed = 1/2 Brahman, 1/4 Charolês, 18 Bisão, 1/16 Hereford, 1/16 Shorthorn (USA)
– Barzona = Angus, Brahman, Africânder, Hereford, Shorthorn (Arizona, USA)
– Beefalo = 3/8 Bisão, 3/8 Charolês, 1/4 Hereford (USA)
– Beefmaker = 50% Charolês, 50% Hereford, A. Angus, Shorthorn e alguma perc. de Pardo Suíço e Brahman (USA)
– Beefmaster = 1/2 Brahman, 1/4 Hereford e 1/4 Shorthorn (USA)
– Belmont Red = 1/2 Africânder, 1/4 Hereford e 1/4 Shorthorn (Austrália)
– Bonsmara = 5/8 Africânder, 3/16 Hereford e 3/16 Shorthorn (Austrália)
– Braford = 5/8 Hereford e 3/8 Brahman (USA)
– Burwash = 1/2 Charolês, 1/4 Hereford e 1/4 Shorthorn (Canada)
– Charford = 1/2 Charolês, 3/8 Hereford e 1/8 Brahman (USA)
– Fort Cross = 1/2 Charolês, 1/4 Lincoln Red e 1/4 Hereford (Canada)
– Hash Cross = Hereford, Aberdeen Angus, Shorthorn e Highland (USA)
– Hereland = F1 Hereford X Highland (Reino Unido)
– Kazakh Whiteheaded = Hereford X Kazahk local(Rússia)
– Nuras = 1/2 Africânder, 1/4 Hereford e 1/4 Simental (Namíbia)
– Pampiano-Braford = 5/8 Hereford X 3/8 Zebu (Brasil)
– Pee Wee = Angus, Charolês, Galloway e Hereford (Alberta University, Canada)
– Philamin = 1/2 Hereford, 3/8 Nelore e 1/8 Philipine nativo (Filipinas)
– Regus = Red Angus X Hereford (Wyoming)
– Sahford = Hereford X Sahiwal (Austrália)
– Simford = Hereford X Simental (Austrália)
– Simmalo = 1/2 Simental, 1/4 Bisão e 1/4 Hereford (USA)
– South Ukrainian = 1/2 Charolês, 1/4 Hereford, 1/4 Red Steppe (Rússia)
– Victoria = 3/4 Hereford e 1/4 Brahman (USA)
– Wokalup = Brahman, Charolês, Frísio, Hereford, Angus (West Austrália)
– Znamensk = 62,5% Aberdeen Angus, 25% Charolês e 12,5% Simental Russo (Ucrânia)

Fonte: Associação Nacional de Criadores “Herd Book” Collares

Translate »