Braford da Fazenda Querência atrai interessados no Centro-Oeste do Brasil

Por em 3 de outubro de 2016
88e3c6a2-f4a5-442f-a12b-015582019d41

O sócio criador Fernando Fonseca e o veterinário Witis Baes Rodrigues

Fruto do acasalamento controlado, no Brasil, pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), do Hereford com o zebuínos de corte, o Braford vem ganhando espaço e visibilidade no Centro-Oeste brasileiro pelas mãos do criador e sócio da ABHB, Fernando Fonseca. Natural de Jaguarão (RS), o pecuarista há dez anos trocou o Rio Grande do Sul por Goiás, onde começou criando Nelore, mas há cinco anos adquiriu matrizes para iniciar a transição para o Braford. A iniciativa garantiu ao gaúcho visibilidade, atraindo os olhares de diversas empresas e criadores interessados na raça, que tem apresentado grande potencial de adaptação e de desenvolvimento na região.

14585529_10209517153138801_1984918791_n

Na última quarta-feira (28) foi a vez de representantes das empresas Merial, Tortuga e JBS, além de pecuaristas da proximidade, visitarem a propriedade localizada no município de Rio Verde em busca de informações sobre a raça. “As visitas têm sido frequentes”, admitiu Fonseca, “todos os meses estamos abrindo as porteiras para mostrar a nossa genética”.

De acordo com o sócio da ABHB, em Goiás, “o Braford se adaptou muito bem e hoje é um diferencial no Centro-Oeste. A imagem da raça está consolidada de forma muito positiva, sem problemas de fertilidade ou de alimentação”, reforçou Fonseca.

Seu rebanho, que totaliza cerca de mil animais, apresenta hoje três categorias de genética, com especial ênfase à produção de touros. Justamente por isto pecuarista tem celebrado a primeira safra de reprodutores com 2 anos.

“São 30 animais que serão comercializados nesta primeira estação de monta agora em outubro. Estamos muito felizes com o resultado. Só se consegue isto com muita gestão e protocolos sanitários”, pontuou.

Boa adaptação

14543576_10209517152778792_230123978_n

A boa adaptação pode ser explicada pelo próprio acasalamento que o origina, já que 5/8 da composição genética da raça sintética vem da raça mãe, o Hereford – que responde por fatores como qualidade de carcaça, alta fertilidade, docilidade e marmoreio da carne. Os 3/8 restantes, oriundos de zebuínos, garantem a rusticidade característica, conferindo ao Braford a capacidade de suportar as temperaturas mais quentes do Brasil central.

Aqui no Brasil a maior parte dos rebanhos são formados pelo Nelore mocho, mas na formação da raça são aceitas a Nelore, Brahman, Tabapuã, Sindi e o Guzera. A entidade adverte que o simples cruzamento de Hereford com zebuínos não caracterizam um reprodutor ou matriz Braford, pois há a necessidade do acasalamento ser acompanhado pela ABHB para que o animal seja homologado como Braford.

O Inspetor Técnico credenciado pela Associação Brasileira de Hereford e Braford no Centro-Oeste, o veterinário Witis Baes Rodrigues, tem acompanhado toda a evolução de perto. Na última sexta-feira o doutor em bovinocultura pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) que vive no Mato Grosso do Sul, esteve na propriedade desenvolvendo o registro e o acompanhamento dos animais. Nesta segunda-feira (3) será a vez de Fonseca receber o professor Silvio Menegassi, da NESPRO/UFRGS.

Por Tatiana Feldens, reg. Prof. 13.654

Fotos enviadas pelo veterinário Witis Baes Rodrigues

Ascom ABHB 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Translate »