A uma jovem senhora

Por em 12 de outubro de 2018

A uma jovem senhora

 

Mais um dia 12, mas este aqui é diferente, afinal, ele encerra mais uma década vivida, ou melhor, inicia mais uma a ser descoberta. Pois é, mais de meio século de história, e quem vê a senhora com toda essa disposição e vitalidade pode afirmar que o tempo só lhe faz bem.

A cada ano mais sábia e mais forte, está a todo momento de braços abertos e disposta a fazer novos amigos por onde for. Mas também sabe conservar as antigas amizades, mantém as portas de sua casa sempre abertas e um café fresquinho para quem vem lhe visitar.

Nestes 60 anos já viu muitos filhos tomarem o seu rumo pelo mundo, embora não goste de despedidas, encontra conforto em saber que jamais será esquecida por aqueles que um dia já lhe fizeram costado. Por falar em mundo, este lhe parece não ter porteiras, com a determinação da mãe zelosa e incansável que é, não poupa esforços para levar cada vez mais longe as suas crias de cara branca e lombo colorado.

Falar e escrever sobre a sua história é de longe uma das tarefas mais fáceis, isso se deve a esse seu jeito simples e versátil. Cumpre protocolos, formalidades e sabe ser elegante, mas não foge da lida na mangueira, do barro e do tempo feio. Esbanja juventude quando tem festa, veste a sua melhor roupa e é sempre a primeira a chegar e a última a sair, tornando-se a presença mais disputada por onde passa. Quem já a conhece faz questão de prestigiá-la, quem não, não abre mão de ir ao seu encontro, afinal, são várias as histórias, glórias e conquistas compartilhadas com quem lhe rodeia.

Como uma jovem senhora, não cedeu ao tempo e tampouco ficou alheia às mudanças deste mundo, mas tudo isso sem perder contato com o seu passado e com sua história. Ao estender o braço para alcançar a cuia com o mate cevado, preserva e cultua as suas origens enraizadas no pampa gaúcho, ao passo que o sabor e a qualidade do seu assado conquistam cada rincão da pátria grande.

Tudo isso é resultado de mais de meio século de uma vida e de um trabalho dedicados ao benefício de uma família, a sua. São sócios, criadores, diretores, corpo técnico, colaboradores, cabanheiros e admiradores das suas raças e cores, que, dia a dia, garantem sustento e dignidade sob o seu olhar fraterno que não faz distinção nenhuma de sangue ou da marca que cada um traz estampada na paleta.

Hoje, cabe a nós lhe entregar o único presente à altura, a nossa gratidão. Desejamos à senhora, Associação Brasileira de Hereford e Braford, muitos outros anos de alegrias, vitórias e celebrações ao lado dos que lhe querem bem. Estes são os votos da sua família Cara Branca.

Murilo Alves / ASCOM ABHB

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Translate »